13/07/2010

Docemente... me parte a alma.
Eu te levarei sempre em meu bolso, onde estiver
Como uma moeda, um amuleto
Que com minhas mãos ninarei.
Esta paixão por te ter
É minha emergência de amor
Te sentir perto para nunca te esquecer
Conservar da tua boca o sabor.
A noite, o dia
Na tristeza, na alegria
Uma batalha que não dá trégua ao meu ser
Docemente... me parte a alma.

Um comentário:

Salete Maria disse...

A mídia fala em Bruno
Eliza e gravidez
Flamengo, orgia e fumo
-esta é a bola da vez!-
Tem muito 'especialista'
Em busca de alguma pista
Pra ser o herói do mês

E a história se repetindo
Mudando apenas o nome
Outra mulher sucumbindo
Sob ameaça dum homem
Uma vida abreviada
Cuja morte anunciada
A estatística consome
(...)

Leia mais em www.cordelirando.blogspot.com